sábado, maio 05, 2007

Bye

Há uma porcaria de um spam que não tenho a certeza que esteja em vias de desaparecer deste blogue - voltei a vê-lo hoje - e, sim, incomoda-me muito.
Vou dar à sola e, daqui a uns dias, fechar o blogue.
Por enquanto deixo-o aberto, para que, quem o quiser, possa seguir-me o rasto.

Apesar de tudo, um brinde aos novos começos, como dizia há dias a Vida de Praia!
Passo a usar pseudónimo, agora, mas continuo sendo eu.

Repousar

Ontem fui para o campo.
Onde há vinte anos cresce uma hera que me foi oferecida num vaso pequenino e agora ocupa quase uma parede da casa, em direcção ao céu...




Os gatos são anónimos e fugidios por lá, mas o Xadrês, como apenas eu lhe chamo, consentiu em posar...
O gato preto, o mais meigo de todos, o mais meigo que alguma vez por lá houve, roçou-se nas minhas pernas e deixou-se acariciar, mas não quis aparecer na internet.


E as rosas? São lindas, as rosas da minha mãe, não são?
Depois fui espalhar mais confusão no ATL do meu sobrinho Vasco, filmar os garotos, vê-los pintar, comer Doritos e presenciar birras.
E mais tarde dar beijos e colo ao sobrinho mais pequeno, o Tomás, e responder vezes sem conta aos seus insistentes "qu'é ito?"...
Foi um dia cheio. Muito bom.




Deslamuriei-me.

quinta-feira, maio 03, 2007

Odeio o tom de lamúria

em que às vezes me instalo.
Odeio.
Já passa.
Até já.

terça-feira, maio 01, 2007

Às vezes

não sei o que quero. O que, na minha idade, não era suposto e não me prestigia.

Como diz o outro, temos pena...

Post inaugural de Maio

Insónia. Voltas e voltinhas na cama, como um frango no churrasco, mal comparado.
Nada de interessante a escrever. Mas é Maio, dia 1, dia de descanso do trabalhador com sorte. E hoje há qualquer coisa vaga que me inquieta, que me insatisfaz. E, ao contrário do que sentiria o frango de churrasco, se alguma coisa sentisse, eu tenho frio.