sexta-feira, janeiro 29, 2010

Enfim, comprei um desumidificador.

A ver se passo a frequentar outras divisões da casa, não apenas o quarto.

Delírio com poucos minutos de duração

Hoje não me apetece nada ir trabalhar. Logo não vou. Telefono e digo: "hoje não vou porque não me apetece". Assim, a verdade. Porque mentir é muito feio.

quinta-feira, janeiro 28, 2010



Há sempre novas flores e novos frutos.

domingo, janeiro 24, 2010

Gostar de piadas tontas.

Os cornos não existem. São coisas que metem na cabeça das pessoas.

sexta-feira, janeiro 22, 2010

Na RFM,

vindo eu a caminho de casa, ouço o locutor dizer qualquer coisa como isto: Imagine que encontra o amor da sua vida, aí no meio do trânsito. Quem sabe? Tudo pode acontecer.

E eu, a torcer os pensamentos todos, a ver se chegava lá...
Pode acontecer, como? Provoco um acidente de propósito para conhecer alguém?

Acho que "no meio do trânsito" é o sítio mais improvável. Acho que o locutor tinha bebido vinho ao lanche.

quinta-feira, janeiro 21, 2010

Em diferido


Sozinha, entregue a mim própria na minha aldeia, sem computador, sem net, sem..., tive saudades de escrever. Fui à loja comprar um caderno piroso (o menos piroso de todos os que lá estavam, ainda assim) e uma caneta de ponta fina. Deitei-me no jardinzinho em frente à igreja para fotografar pinhas e trevos. Assim estive uns minutos, eu e a minha máquina, próxima do cheiro da terra, próxima de mim. Quando me levantei para me dirigir ao carro (Escrevo estas linhas sentada ao volante, o carro parado, claro, o carro parado.) reparei em alguém que reparava em mim. Não deve ser comum ver-se uma mulher adulta deitada na relva a fotografar. Não tenho qualquer interesse em ser comum, e nem sequer também me interessa ser diferente. Apenas não me interessa.
Queria tanto uma lente para a máquina, uma lente que me permitisse captar bem as coisas minúsculas e lindas que os meus olhos vêem!... (Com calma, lá chegaremos.)
Cheiro as folhas em branco do meu caderno piroso. Cheira tão bem, o papel novo dos inícios de ano lectivo, dos inícios das coisas, dos recomeços de mim!
E de repente, lembro-me da Carla - "Já tiveste uma letra mais bonita."
- Já sei -digo-lhe. - E a memória da voz da Maria: Mas escrevo!
Ponho a chave na ignição, ligo a música, ligo o carro, vou ver se vejo os meus sobrinhos.
(Vi-os)

terça-feira, janeiro 19, 2010



Acordo destas férias bonitas cansada de mim. Cansada de nada ou pouco fazer para mudar o muito que está mal, em mim e à minha volta. Hoje tive um acesso de tremores como há muito não tinha, a caminho do local onde trabalho. O meu corpo a gritar-me "Muda de vida!"

Toda a mudança começa por dentro de mim, e só eu a impulsiono e a faço possível, no tempo certo.
Não vou parar de crescer, não quero.

elis regina - casa no campo

Para recomeçar, uma canção que me emociona.