quinta-feira, julho 28, 2011

Saber esperar.

Uma grande virtude em que sou especialmente inábil.
Estou inabilmente à espera de tudo. À espera das férias para me espraiar naquele cantinho de paraíso onde se ouvem os pássaros e o vento nas copas das árvores.
À espera de mim no fundo de mim.
À espera de inspiração para arrumar esta semper-caótica casa, ou de dinheiro para pagar uma empregada doméstica.
À espera.

1 comentário:

mfc disse...

É uma arte muito difícil não nos angustiarmos com a espera!