sexta-feira, março 17, 2006

Morrer em vida

A propósito deste artigo da avózinha fiquei a pensar que a desgraça não é alguém morrer e ninguém dar pela sua falta. Desgraça é estar vivo um ser humano e isso não interessar a ninguém. Quando morrem sozinhos, os abandonados vão apodrecendo, e incomodam-nos o olfacto e a conciência. Muito pior é estarem vivos e não nos incomodarem nada.

4 comentários:

deprofundis disse...

O importante não é prolongar a vida. Isso é uma mina para os médicos e outros agentes da saúde... O importante é garantir qualidade de vida. É melhor pouco e bom do que muito e ruim.

tikka masala disse...

Palavras para quê? Já disseram tudo. Depois de dizer, só falta mesmo fazer. Confesso que raramente vou visitar os meus avós, que ainda se mantêm vivos um ao outro e têm 90 anos. Custa-me lá ir e vê-los assim, a definharem fisicamente, apesar de ainda estarem bastante lúcidos. Mas eles, ao menos, podem gabar-se de terem tido uma vida boa.

Margarida Atheling disse...

É bem verdade...!

Beijinhos!

Vilma disse...

Abana!