sábado, maio 20, 2006

Rotundus

Minha querida amiga, de vez em quando passo aí no teu blog. Para saber novas tuas, novas dos teus pensamentos, e nunca sei o que diga que faça sentido. Estiveste ao meu lado nalguns dos meus momentos mais tristes, e também juntas vivemos coisas loucas e descontraídas...
Já te disse que o luto é um processo longo, e talvez no teu caso seja ainda pior.
Eu gostava que acreditasses em milagres, que acreditasses que depois disto há mais vida, simplesmente porque eu acredito, e porque acho que te tornaria um pouco mais suave a recuperação.
Sinto-te em crise, sinto-te em crise profunda. E compreendo.
Lembra-te contudo que és uma mulher de fibra, uma mulher com garra, que os teus filhos te amam, e que a vida nunca é rigorosamente como a queríamos. Gostava tanto de te saber explicar porquê! Gostava tanto de ter uma mala cheia de estrelas verdadeiras, para oferecer aos amigos, e que essas estrelas nunca se apagassem!
Um beijo, R.

2 comentários:

Juda disse...

Olá... hoje passei por Água de Madeiros! quem havia de dizer que encontrava este canto, foi um "calhas" mas eu disse a quem estava com o rato na mão - é pá espera lá que eu conheço este blog!! e não é que lemos e gostamos do genero de escrita que por aqui vai pingando, a do sono está bem tirada, deixo-lhe o meu abraço...

Dulce disse...

Obrigada, Juda :)
É bom ter feed-back...