sábado, janeiro 21, 2006

A casa do silêncio


Já há muito tempo que não passo por aqui. Era no verão, no tempo dos dias longos, no tempo em que o tempo tem paciência para anoitecer devagarinho...
Numa casinha por detrás destes muros morava ou mora uma senhora surda-muda. Falávamos uma com a outra quando eu por ali passava, nas minhas caminhadas a pé (que boa ideia seria retomá-las!)... Não nos compreendíamos senão no silêncio e no sorriso, mas sempre me senti feliz por passar po ali, sempre fiquei contente com essa espécie de comunicação que me ultrapassava. Já mal recordo o rosto dessa senhora, mas os raios do seu sorriso são ondas de calor que ainda me acalentam.

1 comentário:

Castor (moi-je...ehe, ehe) disse...

Há pessoas que tem a capacidade de nos marcar por serem tão sómente ... especiais.