sábado, janeiro 21, 2006

Doces memórias de mar



















Do lento caminhar, dos pés enterrados na areia...

Das ondas
da espuma
dos gritos das gaivotas na manhã ainda adormecida...

Daquele marulhar que me embala
e me pacifica,
como um mantra.

O mar é a minha casa líquida.
(Um blog tem coisas fantásticas! Apetecer-me escrever "O mar é a minha casa líquida" e escrevê-lo, e deixar ficar, na bordinha até do meu próprio prato... lol)

1 comentário:

Pdivulg disse...

No meio deste frio todo, esta visão do mar soube-me bem, obrigado!