quarta-feira, setembro 06, 2006

Esta luz pequenina

Muitas vezes tenho consciência de ser demasiado ingénua, demasiado "romântica" na idealização das soluções para as coisas, e assim não só não me ajudo como não ajudo ninguém.
O meu irmão diz "a cor não é feia", quando uma coisa é bonita mas não serve para nada.
Pois é, faltar-me-á pragmatismo.
Faltar-me-á fazer, em vez de pensar e sentir.
Mas pragmatismo não se vende na farmácia. E já lá vai o tempo (espero) de me auto-condenar por ser assim ou assado.
Há muitos anos (aí uns 20) participei numa coisa a que se chamava (e chama) convívio fraterno. Ao contrário do que testemunhará a maior parte dos jovens que viveu experiência semelhante, eu não gostei muito. A ser mais sincera: não gostei quase nada. Senti que uns eram mais iguais que os outros, que alguns estavam ali para nos dar exemplos de vida. Não gosto de exemplos de vida, nem de bons conselhos, nem de vidas de santos. Ao vivo, menos ainda. Mas isto seria (será ainda?) o meu eterno complexo de inferioridade a falar, a ver olhos no escuro e dedos apontados.
Mas nesse tal convívio fraterno aprendi uma canção de que me lembro muitas vezes, e trauteio para dentro: Esta luz pequenina / vou deixá-la brilhar
(Pois é, não sei senão o refrão :)...)
Acredito que à minha maneira um tanto infantil posso fazer alguma diferença no caminho dos que se cruzam comigo. Para esses, para dois ou três, para poucos, eu poderei fazer alguma diferença. E, tratando-se duma luz pequenina, valerá a pena deixar brilhar o que sou.

Reli o texto. Bastante contraditório. Afinal ajudo ou não ajudo sendo como sou?
Mas eu também sou contraditória, a todos os momentos penso e digo e calo coisas diferentes. Não vou emendar o texto porque isso me daria uma trabalheira do caraças, e porque foi assim que o pensei enquanto escrevia. Eu já disse: este blog é uma espécie de esplanada em que me sento a beber um copo.
Falei e disse. Agora vou. Paguem a conta, por favor.

7 comentários:

Xuinha Foguetão disse...

Está a conta paga! :)

Dulce disse...

Obrigada, Xu!
Amanhã pago eu :)

tikka masala disse...

Dulce, este teu texto não só é muito bonito e comovente, como ainda tem a coerência e a lucidez que tu pensas que lhe falta. Para mim, fazes TODA a diferença. Podes crer que sou melhor e mais feliz por te ter conhecido. OOBRIGADA! (só não gosto que me obrigues a escrever qualquer coisa como "etnavhxm" quando aqui venho...)

Dulce disse...

Lol, o que tu me fizeste, rir, Tikka!
drvqhh
Desculpa, mas odeio spam

Ilhota2 disse...

às vezes cruzamos por mero acaso com pessoas assim no nosso caminho

gosto da maneira como abordas os temas

vou voltar

Avozinha disse...

Boa, esta da luz pequenina. Mas quem é que a acende?

Dulce disse...

Quem a acendeu foi Deus, avozinha, então não sabes? Desde sempre, para sempre. Luz acesa.
"Nem ainda as trevas me separam de Ti. Mas a noite resplandece como o dia."