quarta-feira, julho 05, 2006

Só mais isto:

Eu sempre gostei muito de cães.
Desde menina que tive cães que brincavam comigo e me lambiam as lágrimas.
Em contrapartida não gostava de gatos.
Agora que tenho duas gatas, gosto imenso delas. E continuo a gostar de cães.
Ora bem, verdades de La Palice: os gatos não são cães e os cães não são gatos. Não posso pedir a um gato que seja cão para eu gostar dele. Se é para gostar dele, tenho que o deixar ser gato.
Seria uma parvoíce que um gato olhasse para um cão e pensasse: o cão é giro. Eu não sou cão. Logo, não sou giro. Ainda bem que os gatos são descomplicados e nunca ouviram falar de silogismos.O mesmo não poderei dizer de mim, que muitas vezes acho que só valeria se me parecesse com outras pessoas que eu admiro.
Perceberam alguma coisa?

8 comentários:

vinte e dois disse...

Bom, perceber percebi, mas tive que ler muito devagarinho ;)

limonada disse...

A natureza humana é tão simples de entender. Somos todos iguais.

TsiWari disse...

a gatinha da vizinha...é sempre melhor que a minha

(adaptado)



Bom descanso.

deprofundis disse...

Pois eu gosto muito de salmonetes. E também gosto de gambas. E também consigo comê-los ambos à mesma refeição. Tudo em paz e nada de conflitos.

Louco de Lisboa disse...

Não, mas que importa?
Personalidades...

Um beijo, até outro instante.

Vilma disse...

Viraste-me a cabeça! lol :D

Luís Alves de Fraga disse...

Venho do «Deprofundis» e gostei do que li. Confuso, mas perceptível! Dei uma vista de olhos para o que está em baixo e gostei, também. Prometo que vou passar a estar de olho mais atento na sua prosa (pessoa). Posso mandar vir uma bebida?

Juda disse...

Olá, passo para deixar cumprimentos, sim vou estar nas festas de 20-21 de agosto, claro que vou respeitar o facto de me apresentar com um pseudónimo, continuo a passar por aqui sempre que posso, até...