terça-feira, outubro 03, 2006

Asas

Dizia-me hoje uma amiga que eu tenho uma multidão de gente que me quer bem e me estende a sua asa protectora. E é verdade. Tenho. E gosto. Tanto!...
Fiquei a pensar que talvez a minha vocação não seja mesmo ser mãe.
Talvez a minha vocação seja ser filha.
Ser protegida, ser acolhida, ser amada.
Alguém sempre velando o meu sono, e olhando, pela janela, os meus passos. Torcendo por mim.
Mas sei lá se isto é verdade!
Eu gostava tanto de ser mãe!
Enfim, não calhou... talvez venha a ser avó! LOL

5 comentários:

Luís Alves de Fraga disse...

A Dulce recebe o que espalha e semeia: amor, ternura e amizade; simpatia a soltar-se das suas palavras como areia entre os dedos de uma criança.
O que lhe sabe bem é o reflexo de si própria, porque, sem dar por isso, espalha amor de mãe à sua volta e recebe o carinho de tantos filhos...

Xuinha Foguetão disse...

:)

Dulce,

n há mesmo hipotese de antes de seres avó seres mãe?

;)

Beijocas grandes

Dulce disse...

O Luís Alves de Fraga é de uma simpatia inexcedível! Obrigada! :)
Xu: as hipóteses não se esgotaram ainda, mas são muiiiito reduzidas... Mas isso não me inquieta nem perturba o meu dia a dia. :) Beijo.

tikka masala disse...

Gostaria de ter escrito as palavras do Luís Alves de Fraga, porque é isso mesmo que sinto. Obrigada, Dulce, pelo que nos dás. E por me fazeres gostar tanto de gostar de ti!

Dulce disse...

Tikka: :)))

(gosto de ti e gosto que gostes de gostar de mim :) A sério!)