quarta-feira, outubro 25, 2006

Coisas que me baralham

um blog que conheço há muito tempo, de que nunca gostei, que sempre me inquietou. E que sempre visitei. Trata-se assim duma espécie de morte anunciada. O seu autor (ou autora) escolheu o dia 1 de Novembro para se suicidar, e o blog conta as suas (des)razões de viver ou morrer, desde essa decisão. Um ano de blog. Confesso que não sei o que acho. De mau gosto, sem dúvida, seja brincadeira ou não. Um blog cruel até, direi eu, para espíritos mais frágeis. E o tempo está a terminar.
Eu nunca tinha visto um suicídio anunciado com aquela lucidez (?) e aquela antecedência.
Confesso que não sei o que pensar. E se é para ajudar, também não sei.
Se alguém souber, faça favor...

5 comentários:

Luís Alves de Fraga disse...

A mente humana é rica e fértil no processo de inventar modos para criar dependências nos outros. Matando-se ou não esse blogista quer é audiência. Vire-lhe as costas, porque ele deseja aquilo que todos os bloguistas querem, nada mais.
Acredite que, no dia 2, ele vai "renascer" em qualquer outro blog.

deprofundis disse...

Por muito cruel que eu esteja a ser, faz parte da minha moral o direito a acabar com a vida. Penso que ninguém deve "cá andar" contrariado.
Se essa pessoa se quer suicidar, que o faça, mas sem incomodar os outros.
Acredito que, no caso vertente, o anúncio do suicídio seja uma mera artimanha para ganhar audiência.
Conheço um caso anedótico em que um "suicida" pediu a um irmão meu ajuda para subir ao parapeito de uma ponte para daí se lançar ao rio. Como o meu irmão se prontificou calmamente a fazê-lo e não mostrou qualquer preocupação com o facto, desistiu da ideia.
Afinal a morte dele não preocupava ninguém...

Xuinha disse...

Nem sei se espreito...

Margarida Atheling disse...

Nem sei se veja, se não...

Beijinhos

SC disse...

Eu nem vou ver...