quarta-feira, agosto 30, 2006

À noite a minha vida transforma-se

Sonho coisas esquisitas, acordo e adormeço e continuo a sonhá-las. Sonho por capítulos, digamos :) Apesar de esquisitas à luz do meu olhar de dia, as coisas fazem TODO o sentido enquanto as sonho. Hoje nos meus sonhos uma pessoa querida faleceu.
(E de facto, na vida real, essa pessoa já não está connosco.)
E havia a noção de que era mais uma, antes dela já tinham falecido mais, não sei quantas, não sei quem. Lembro-me da minha mãe dizer que nós agarrávamos as nuvens, não as deixávamos subir, e isso fazia-nos sofrer mais. As minhas mãos estavam de facto cheias de nuvens, e acima da minha mãe, uma linda espiral branca de nuvem terminava numa nuvem linda no céu. No sonho, tenho a certeza, a nuvem nas minhas mãos correspondia a não deixar voar a pessoa que tinha morrido. Porque a queria. Porque me agarrava a ela. Porque recusava deixá-la esfumar-se.
Raio de sonho.
Mas não era angustiante.

3 comentários:

deprofundis disse...

Eu quando tenho frio sonho que ando em pelo no meio das pessoas. Muito embaraçoso, não acham?

Dulce disse...

Extremamente embaraçoso, deprofundis! ;)

SC disse...

Um sonho com muito sentido... Mas é preciso estar disponível para conseguir captar a mensagem!